Padrão

Como vender pela internet e ter sucesso no e-commerce?

Postado por Livia Ferreira

Atualizado em abril 8, 2022 por Giovanna

O mundo digital oferece facilidades e vantagens com as quais facilmente nos acostumamos. Agora não é preciso sair de casa para comprar alimentos, medicamentos, itens de decoração ou cosméticos. Os varejistas precisam se adaptar para não ficar de fora dessa mudança, por isso é fundamental saber como vender pela internet.

Antes de se lançar no universo do e-commerce, é preciso conhecer as ferramentas que podem ajudar a impulsionar sua loja, assim como técnicas de vendas específicas do meio virtual. Afinal, muita coisa que funciona no offline pode não ser tão boa no comércio online.

Confira o guia que preparamos e entenda como vender pela internet, quais as vantagens de migrar do mundo físico para o virtual e o que você pode comercializar na sua loja. Vamos lá?

Como vender pela internet?

É normal ter medo de errar quando se inicia um negócio, principalmente quando não é por meios tradicionais — como é o caso das lojas físicas. No entanto, vender pela internet se tornou uma saída inteligente para os negócios que querem aproveitar o melhor que a tecnologia tem a oferecer.

Se você quer começar, mas não sabe como vender produtos pela internet, confira os primeiros passos para ter uma loja virtual de sucesso:

1. Escolha o que vender

A primeira ação — e talvez mais importante — é definir qual será o foco da sua empresa, ou seja, se você pretende vender roupas, produtos eletrônicos ou serviços, por exemplo.

Pense de que forma o seu produto pode suprir as necessidades do público ou resolver alguma dor que as pessoas tenham. Em vez de criar uma loja de roupas, por exemplo, pense em formas de especificar melhor seu objetivo, como vender roupas de ginástica. 

Especificar bem qual o nicho de mercado do seu negócio ajuda a escolher os melhores fornecedores, identificar oportunidades de crescimento e, claro, saber ao certo quem é o seu cliente.

💡Saiba mais: 7 produtos mais vendidos online no pós-pandemia

2. Defina o público-alvo

Depois de entender o que você pode vender pela internet, é necessário considerar para quem os produtos ou serviços serão oferecidos. Definir o público-alvo do seu e-commerce é o elemento-chave para direcionar suas ações, visando a alcançar esse grupo específico.

Por meio de pesquisas de mercado, análise demográfica e entrevistas com clientes, é possível traçar o perfil do consumidor ideal — também conhecido como persona.

Se o seu público é formado por pessoas de 16 a 24 anos, por exemplo, talvez seja interessante vender nas redes sociais, principalmente no Instagram e no TikTok. Além disso, a linguagem utilizada deverá ser próxima às preferências desse público.

A definição de persona é fundamental para guiar todas as suas ações, seja na etapa de atração ou na fidelização de clientes.

3. Nomeie a marca e crie uma identidade visual

Esse é o momento de abusar da criatividade e deixar o nome da sua marca falar por você. Ele precisa ser fácil de ser pronunciado, escrito e, claro, lembrado!

Primeiramente, faça uma lista com todas as suas ideias e vá eliminando as opções que não se mostrarem tão interessantes.

Além disso, pense nas formas, cores e imagens que mais representam o seu negócio. Essa é a forma como ele se comunicará com o público e reforça o posicionamento de marca — chamada identidade visual. Portanto, use o estudo de persona para entender de que forma atingir em cheio o público.

💡Saiba mais: Como fazer um logotipo para sua empresa

Caso você sinta alguma dificuldade em encontrar o nome ideal para sua marca, não se preocupe! Atualmente, existem ótimas ferramentas que te ajudam a escolher um nome impactante, criativo e alinhado aos seus produtos. Conheça a principal:

👉 Ferramenta grátis: Gerador de nomes para empresas

4. Eleja os canais de venda

Os canais de venda são os locais por onde você vai vender os seus produtos na internet. Você pode fazer isso criando uma loja própria em alguma plataforma de e-commerce, vender em marketplaces ou mesmo usar o recurso de loja virtual das redes sociais.

O mais importante nessa etapa é entender em quais canais o seu público está para, a partir de então, decidir onde fixar sua loja virtual.

💡Saiba mais: Multicanal: invista em estratégias infalíveis para melhorar suas vendas

banner de conversão para Nuvemshop

5. Estude a concorrência

Com a gama de produtos disponíveis no mercado e lojistas atuando nos meios digitais, é inevitável que você encontre concorrência. Ter competição não é um problema, mas ignorá-la pode ser fatal para o seu negócio.

Veja o que a concorrência está oferecendo aos clientes, quais dores ela consegue sanar — e quais não consegue — e, a partir dessa análise, trace a sua estratégia.

Durante essa análise, você pode avaliar como está a navegação do site da concorrência, quais são os preços oferecidos e as condições de pagamento, como são os conteúdos publicados nas redes sociais etc. A ideia é entender como você pode se superar e passar na frente das outras marcas.

6. Precifique os produtos

A etapa de precificação pode gerar uma série de dúvidas em quem está descobrindo como vender pela internet. Isso acontece, principalmente, porque todos querem oferecer o melhor preço para atrair mais clientes. No entanto, você precisa ter lucro, afinal, um dos objetivos de ter uma loja virtual é ganhar dinheiro, não é verdade?

Para precificar os produtos, portanto, calcule todas as taxas incluídas nos itens, os custos fixos da sua empresa (como água, luz, internet, salários etc.), os valores repassados para os fornecedores, os impostos, entre outros.

Depois de avaliar todos os gastos, veja qual é a margem de lucro desejada e defina os preços das suas mercadorias.

💡Saiba mais: Como ter mais lucro nas vendas com a precificação correta dos produtos

7. Determine os meios de pagamento

O estudo de persona que mencionamos também é importante para entender quais são as formas de pagamento que seu público mais utiliza. Desse modo, considerando que você vai vender seus produtos pela internet, o ideal é oferecer meios de pagamento online.

Elenque os modelos mais comuns — cartão de crédito, débito, Pix, PayPal, boleto bancário etc. e analise as taxas e condições oferecidas por todas as operadoras. Lembre-se de escolher um meio de pagamento que seja bom para seus clientes e para o seu negócio.

8. Planeje a logística

Uma importante etapa da venda online é a logística. Afinal, como os produtos adquiridos chegarão até os compradores? 

No entanto, a logística envolve muito mais que apenas o transporte, ela é uma peça importante do sistema de e-commerce. 

Ao elaborar seu projeto de operação logística, considere:

  • Organização e monitoramento do estoque da sua loja;
  • Diferentes meios de envio para que seu cliente possa escolher;
  • Políticas de troca e devolução, além de logística reversa, para situações em que os consumidores queiram retornar uma mercadoria.

9. Crie uma estratégia de divulgação

Suponhamos que você tenha cumprido todas as etapas anteriores com sucesso, criou sua loja virtual, cadastrou os produtos e agora está apenas esperando os clientes acessarem. Como eles encontrarão o seu e-commerce?

Para solucionar esse problema existe o marketing digital. Ele é uma importante ferramenta para atrair novos clientes online, criar conexão com as pessoas e fortalecer a imagem da marca.

Você pode investir em estratégias orgânicas — ou seja, otimizações no seu site ou nas redes sociais que façam sua página aparecer nas primeiras posições nos mecanismos de pesquisa — ou ainda optar pelos anúncios pagos.

Como escolher os produtos para vender online?

Saber como escolher as mercadorias ou os serviços que serão oferecidos na sua loja virtual é um passo fundamental para o sucesso do seu negócio. Por isso, saiba que não há uma resposta certa nesse caso.

Veja, a seguir, alguns critérios interessantes que podem ajudar você a decidir o que vender na sua loja virtual:

Trabalhe com o que você gosta

Ter afinidade pelo que se faz é muito importante para o sucesso de qualquer negócio, seja ele online ou offline. Por isso, entender sobre o produto que você quer vender ou o serviço que deseja oferecer é o primeiro passo.

Essa escolha é uma verdadeira jornada de autoconhecimento, porque será determinante para medir o nível de dedicação que você direcionará ao negócio. Afinal de contas, dificilmente uma pessoa conseguirá se empenhar em algo de que não gosta.

Por exemplo, se você é fã de música, pode criar uma loja de instrumentos musicais. Se gosta de tecnologia, uma possibilidade é montar um e-commerce de produtos eletrônicos. A escolha vai depender das suas preferências e da demanda do mercado, como você verá no próximo tópico.

Atenda às necessidades do mercado

Depois de entender quais são suas afinidades, é o momento de perceber se o produto que você quer vender é requisitado no mercado. Isso quer dizer que as pessoas precisam desejar os produtos para que o seu negócio seja bem-sucedido.

Pense em quais itens podem gerar mais vendas e, com isso, contribuir para a saúde financeira da sua empresa. Portanto, alie sua vontade pessoal às demandas do mercado para se certificar de que seu negócio vai atrair clientes e fidelizá-los.

O que vender pela internet?

Se você ainda está pensando em como vender pela internet um produto ou serviço específico, talvez seja o momento de ampliar suas possibilidades. 

Pode ser difícil acreditar, mas vender produtos mais caros não necessariamente trará mais lucro para sua empresa. Na verdade, os itens mais vendidos costumam não apresentar preços tão altos. Tudo vai depender do volume de vendas e de como se comporta o setor em que você deseja atuar.

Veja, a seguir, algumas ideias do que vender pela internet: 

1. Aparelhos eletrônicos

  • Notebooks gamer;
  • Notebooks para trabalho;
  • Computadores de mesa para trabalho;
  • Computadores All In One;
  • Computadores gamer (voltados para jogos);
  • Monitores;
  • Peças e Hardware (memória RAM, SSD, disco rígido etc.);
  • Equipamentos de rede (modem, roteador, repetidor etc.);
  • Acessórios de informática (mouse, teclado, headsets, caixa de som etc.);
  • Impressoras e cartuchos;
  • Projetores de vídeo;
  • Consoles de videogame (Xbox, PlayStation, Nintendo etc.);
  • Jogos digitais (para download);
  • Jogos em mídia física;
  • Gamepads, joysticks e outros controles para jogos;
  • GPS e suportes de celular para carros;
  • Smartphones;
  • Smartwatches;
  • Tablets.

2. Moda e acessórios

  • Roupas sociais;
  • Roupas casuais (camisas, calças, vestidos etc.);
  • Roupas esportivas;
  • Roupas de banho;
  • Vestidos de noiva;
  • Calçados;
  • Lingerie;
  • Bolsas;
  • Carteiras;
  • Bijuteria;
  • Óculos de grau e de sol;
  • Anéis de noivado e casamento;
  • Relógios de pulso;
  • Chapéus e bonés.

3. Esporte e bem-estar

  • Bicicletas;
  • Itens de futebol e futebol americano;
  • Acessórios para vôlei, tênis, basquete etc.;
  • Artigos para camping;
  • Equipamentos de musculação;
  • Suplementos alimentares, vitaminas etc.;
  • Patins;
  • Patinetes;
  • Equipamentos de pesca;
  • Skate;
  • Pranchas de surf;
  • Monitores cardíacos e de desempenho;
  • Jogos de mesa (xadrez, pôquer, dardo etc.);
  • Vestuário e acessórios esportivos.

4. Beleza e perfumaria

  • Perfumes e colônias;
  • Secadores, produtos e equipamentos para cabelo (cremes, tintas, pranchas, escovas etc.);
  • Produtos e equipamentos para maquiagens;
  • Barbeadores e lâminas;
  • Cremes hidratantes e dermocosméticos.

5. Itens de viagem e turismo

  • Malas e bolsas para viagem;
  • Passagens de avião nacional ou internacional;
  • Hotéis e quartos para estadia;
  • Pacotes de viagem em grupo;
  • Cruzeiros;
  • Pacotes de feriados;
  • Ingressos para eventos nacionais ou internacionais;
  • Aluguel de carros nacional ou internacional;
  • Seguros para viagens.

6. Serviços e cursos online

  • Cursos voltados para tecnologia e mercado digital (marketing, vendas, programação etc.);
  • Webinários e infoprodutos;
  • Consultoria online em diversas áreas;
  • Serviços de propaganda e marketing (agências de marketing digital);
  • Servidores e serviços de hospedagem de sites;
  • Sistemas de CRM (Customer Relationship Management, ou gestão de relacionamento com o cliente);
  • Aplicativos para dispositivos móveis (jogos, soluções, conveniências etc.);
  • Ferramentas de e-mail marketing;
  • Plataformas de atendimento ao cliente;
  • Plataformas de e-commerce;
  • Ferramentas de automação para redes sociais (Instagram, TikTok etc.);
  • Serviços de desenvolvimento de sistemas; 
  • Serviços de design (gráfico, web etc.);
  • Conteúdo informativo e educacional nas redes sociais (como no YouTube, por exemplo).

Quais são as vantagens de vender pela internet?

Com a mudança de comportamento da população e a alta demanda por serviços online, o número de lojas virtuais tem crescido ao longo dos anos. Esse modelo apresenta muitas vantagens — não é à toa que muitas pessoas desejam saber como vender pela internet.

Veja, na sequência, quais são as principais vantagens de vender seus produtos online:

Autonomia

Como você viu no início deste artigo, para começar a vender pela internet é preciso seguir uma série de etapas. No entanto, diferentemente de um negócio físico, ter uma loja online permite maior autonomia para tocar o projeto. Com as ferramentas certas, as equipes podem ser mais enxutas e o negócio funcionar até mesmo na sua casa.

Além disso, a gama de produtos à sua disposição para comercializar permite que você possa escolher o que realmente gosta, tornando o trabalho mais prazeroso.

Flexibilidade

Ao vender pela internet, você tem a possibilidade de organizar sua agenda da forma como preferir, escolher os melhores horários para trabalhar e, ainda, poder se ausentar quando necessário.

No entanto, é preciso ter cautela quanto à organização: ter uma loja online demanda tanta dedicação quanto uma loja física. Portanto, a quantidade de trabalho será praticamente a mesma, o que muda é apenas a dinâmica.

Planejamento

Ter uma loja virtual também permite que você cuide de negócios paralelos ou projetos pessoais. Ao organizar sua rotina, é possível dividir o tempo entre seu negócio virtual e outras atividades que você deseje realizar.

Caso você queira entrar em recesso por alguns dias, é possível se programar para adiantar algumas tarefas, enviar os pedidos com antecedência e solicitar uma pessoa para ficar no seu lugar, por exemplo.

💡Saiba mais: Como elaborar um planejamento estratégico eficaz

Benefícios trabalhistas

Por fim, uma grande vantagem de vender pela internet é poder contar com os benefícios trabalhistas oferecidos aos colaboradores de carteira assinada. Isso é possível abrindo um MEI (Microempreendedor Individual). 

Pagando, mensalmente, o Documento de Arrecadação Simplificada (DAS), é possível ter acesso a direitos como previdência social, auxílio-doença, licença-maternidade e aposentadoria. 

Os valores do DAS para quem é MEI são os seguintes:

  • R$ 61,60 para empresas do comércio ou indústria (R$ 60,60 de INSS + R$ 1 de ICMS);
  • R$ 65,60 para prestação de serviços (R$ 60,60 de INSS + R$ 5 de ISS);
  • R$ 66,60 para comércio e serviços (R$ 60,60 de INSS + R$ 1 de ICMS + R$ 5 de ISS).

Vendendo mais pela internet

Como você pôde notar, saber como vender pela internet, bem como todas as etapas para estruturar sua loja virtual, é fundamental para que sua marca tenha sucesso.

No entanto, muitas empresas negligenciam alguns estágios, como o processo de entrega dos produtos, contratando transportadoras menos experientes ou que oferecem um serviço abaixo do nível esperado. 

Convenhamos, de nada adianta ter uma loja virtual bem estruturada, com produtos de qualidade e bom atendimento se os clientes receberem os itens com atraso ou danificados. 

Para não sofrer com esse tipo de problema, não deixe de pesquisar a fundo e contratar uma empresa especializada em reinventar os processos logísticos e oferecer o melhor serviço de entrega. Entre em contato conosco e conheça a Mandaê!

Gostou? Compartilhe!