E-commerce

O que é marketplace e quais são os riscos de vender neste canal

Postado por Mandaê

Atualizado em dezembro 2, 2021 por Agencia Chili

Afinal de contas, o que é marketplace?

Antes de mais nada, o marketplace teve um crescimento histórico em 2020 devido à pandemia do Covid-19. De acordo com recentes dados divulgados pela Ebit/Nielsen, o marketplace cresceu 52% no ano passado, acima do total do mercado online, que cresceu 41%.

Estar ou não estar em um marketplace gera dúvidas para quem possui um comércio online. Além disso, estar ciente dos riscos é importante para uma decisão acertada.

Vamos contar neste artigo o que é marketplace, quais são as vantagens e os riscos de fazer parte desse canal que só cresce no Brasil.

O que é marketplace

Marketplace é um modelo de negócio que iniciou em 2012 e é uma espécie de shopping virtual que reúne diversas lojas virtuais e marcas.

Trata-se de um canal onde a loja virtual pode divulgar os seus produtos em troca de um percentual sobre o seu faturamento.

De acordo com o recente relatório E-commerce no Brasil da Conversion divulgado em abril, os 10 maiores marketplaces de 2021 são:

  • Mercado Livre
  • Americanas
  • Amazon Brasil
  • Casas Bahia
  • Magazine Luiza
  • Aliexpress
  • Shopee
  • Samsung
  • Elo7
  • Extra

Algumas vantagens de vender em marketplaces

Em 2020, o marketplace ocupou 78% de participação do comércio eletrônico B2C (Business-to-Consumer), segundo o Ebit-Nielsen.

Grandes players do país, como o Mercado Livre, estão investindo cada vez mais em inovação e logística. Além disso, players internacionais, como a Amazon, conquistam cada vez mais espaço.

Ganhar visibilidade

Estar na maior quantidade de canais possível significa aparecer mais e, consequentemente, vender mais. Naturalmente, esse é o objetivo e obstáculo número 1 de quem empreende online. Portanto, estar nesses canais e aumentar a chance de ser encontrado pode ser crucial para ampliar a base de clientes.

Equipe enxuta

A operação de uma loja virtual com presença em 6 ou 7 marketplaces diferentes vai ser praticamente a mesma de uma loja virtual. Com o aumento dos canais de venda e da receita, a consequência é uma diminuição dos gastos com pessoal para fazer mais vendas, o que reflete positivamente na rentabilidade do negócio.

Baixo risco ao iniciar suas vendas

O risco de anunciar um ou vários produtos em marketplaces é menor do que a abertura de uma loja virtual. Não à toa, boa parte dos lojistas virtuais começa com vendas em marketplaces e opta pela abertura de uma loja virtual posteriormente.

Na pior das hipóteses, o risco é de não ter o produto vendido. Também são uma boa alternativa a quem procura testar a receptividade de novos produtos de forma conservadora.

Buy Button (primeira posição)

Produtos na primeira posição da primeira página de busca do marketplace (conhecidos como buy button) têm taxa de conversão entre 800% e 900% maiores comparadas às demais posições.

Portanto, conseguir ranquear um produto nessas posições reflete em um aumento da receita da empresa. Contudo, é importante estar atento à qualidade da entrega e dos serviços de atendimento ao cliente para manter uma reputação acima de 90%.

vendas-em-marketplaces-2

Os principais riscos de vender em marketplaces

Apesar das vantagens, as vendas em marketplaces apresentam riscos que devem ser levados em consideração pelo comércio online.

Por exemplo, altas taxas de comissão, concorrência desleal e alta dependência são pontos que merecem máxima atenção do varejista.

Catalogação demorada

A catalogação dos produtos (ou indexação) pelo site do marketplace é sempre uma incógnita que pode ter impacto direto nas vendas. Um produto pode demorar semanas até ser catalogado e incluído nos resultados. Já ocorreram atrasos de até seis meses na catalogação de produtos, notícia não muito animadora para os vendedores.

Altas taxas de comissão por venda

As taxas cobradas pelos marketplaces podem afetar boa parte do seu lucro. As comissões por cada venda podem ser altas. Em alguns casos, pode chegar até 20%.

Por conta disso, é importante levar em consideração todos os custos envolvidos para avaliar se anunciar no marketplace é realmente vantajoso para o seu e-commerce. Pense em épocas de alta demanda, como a Black Friday, se essas taxas irão impactar de forma negativa o seu faturamento.

Difícil destaque no ranking de pesquisa

Os marketplaces utilizam bots e algoritmos para mostrar os produtos mais adequados para a busca do usuário.

Em resumo, os critérios que têm peso na avaliação dos marketplaces para ranqueamento são: preço do produto, palavras-chave, foto, reputação do vendedor, tempo de entrega e descrição do produto.

Porém, possuir um anúncio com descritivo claro, foto de qualidade, reputação alta e preço atrativo nem sempre significa garantir um bom posicionamento no ranking de pesquisa do marketplace.

Além disso, em alguns marketplaces, a exemplo do Mercado Livre, o vendedor pode optar por pagar taxas maiores para garantir uma boa posição no ranking de pesquisa. Os vendedores Premium do Mercado Livre garantem exposição máxima de seus anúncios e, como consequência, pagam uma taxa até 5% maior do que as demais categorias de vendedores.

Concorrência desleal

Devido ao crescimento exponencial dos marketplaces no Brasil e no mundo, alguns casos de concorrência desleal foram reportados mundo afora. Nada impede que isto também aconteça no Brasil.

A Amazon, por exemplo, foi acusada de copiar produtos de empresas que vendem em seu marketplace, utilizando dados dos vendedores para planejar a venda de produtos considerados lucrativos.

Sem espaço para trabalhar o seu branding

Ao criar a sua loja dentro do marketplace, é difícil realizar um trabalho de branding e fortalecer a sua marca para se diferenciar dos demais vendedores.

Isso ocorre devido ao formato padronizado da página do anúncio, sem possibilidade de destacar o logotipo do seu e-commerce. Além disso, quando o consumidor efetua a compra do seu produto no marketplace, a lembrança de marca que ele terá muitas vezes será a do marketplace, e não a do seu negócio. 

A alta dependência gera riscos para o seu negócio

Possuir grande parte das vendas de sua loja virtual concentradas em marketplaces pode oferecer riscos para a integridade do seu negócio. Por exemplo, se acontecer algo com o marketplace em termos de segurança de dados, queda no tráfego ou até alguma mudança no algoritmo de busca, o seu negócio será diretamente afetado.

Além disso, as políticas de venda são frequentemente atualizadas pelos marketplaces, e as mudanças podem não ser vantajosas para o seu negócio.

Fortaleça o seu e-commerce e conquiste a sua liberdade com a Mandaê

Com o crescimento dos marketplaces, o investimento em logística realizado por este canal também aumentou de maneira significativa.

A logística é estratégica para o sucesso do e-commerce, pois os custos de frete e prazos de entrega influenciam diretamente nas conversões do carrinho de compras da loja virtual.

Porém, o grande domínio dos marketplaces representa um risco aos pequenos e médios comércios online, que ficam refém da política de preços e serviços logísticos oferecidos por este canal. Esse fator pode afetar a margem de lucro do varejista.

A Mandaê, plataforma logística que conecta e-commerces às melhores transportadoras do país, é uma alternativa para quem busca prosperar de forma independente na internet e que não deseja concentrar grande parte de suas vendas nos marketplaces.

Fortalecer o seu próprio e-commerce, realizar um trabalho de marca e diversificar seus canais de venda é uma estratégia inteligente a ser adotada, evitando riscos para o seu negócio no longo prazo. Ao trabalhar de forma independente você aumenta o seu poder de barganha junto aos operadores logísticos e reduz custos. 

Se você ficou interessado e deseja conhecer mais sobre os nossos serviços, então entre em contato conosco!

Leia também:

+ A Mandaê é confiável? Conheça dos bastidores até a entrega no cliente final
+ Conheça as melhores ferramentas de e-mail marketing para a sua empresa
+ Como vender mais pela internet: dicas infalíveis para seu e-commerce

    Ao assinar a newsletter da Mandaê, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações.

    Gostou? Compartilhe!