Logística

10 estratégias de logística para alavancar suas vendas

Postado por Mandaê

Atualizado em janeiro 13, 2022 por Nuvemshop Acesso

estrategias-de-logistica

É possível conquistar e fidelizar clientes de diversas formas com estratégias de logística eficazes.

Qualidade de serviço, disponibilidade do produto, informações claras e entregas dentro do prazo são apenas alguns fatores que agregam valor a experiência do cliente.

Neste post, você confere os principais aspectos que darão o impulso necessário para que a sua empresa faça a diferença em meio a tantas outras e, de quebra, aumente exponencialmente as vendas.

Estratégias de logística para conquistar clientes e vender mais

Acompanhe essa lista de estratégias de logística e aprofunde-se em cada uma clicando nos títulos em azul.

1. Planejamento de vendas e operações

Por trás de todo resultado positivo há um planejamento envolvido. Portanto, para que sua empresa se mantenha competitiva, faça um bom planejamento, mantenha a organização e o controle da sua operação e defina uma estratégia comercial em sintonia com suas estratégias de logística.

Existem etapas básicas para guiá-lo ao caminho certo. Algumas delas são:

• Atualização de dados: é o primeiro passo na elaboração de um planejamento eficaz, seja para aplicar um processo totalmente novo na empresa ou para fazer uma reestruturação da sua cadeia de suprimentos. Essa atualização de dados deve ser sempre realizada no fechamento mensal das vendas ou outro período mensurável definido. Analisar dados de um momento anterior ajuda a melhorar as vendas futuras.

• Planejamento de demanda e vendas: é a previsão de vendas. O objetivo aqui é elaborar um plano de vendas que indique o que realmente sua loja está disposta a oferecer ao mercado em determinado período com base na combinação de previsões estatísticas obtidas através de um histórico e outras informações fornecidas pela equipe de vendas, por exemplo.

• Planejamento de produção e suprimentos: essa atividade é essencial na definição dos níveis desejados de estoque para cada família de produtos existente no portfólio da sua loja.

• Reunião para dar início às ações: é uma reunião para formalizar o planejamento e disseminá-lo para toda a empresa. É de extrema importância que todas as equipes estejam alinhadas para que o planejamento seja seguido à risca e os resultados não fujam do esperado de maneira negativa.

2. Controle de estoque

Não é novidade que fazer o devido controle de estoque seja um aspecto crucial para a uma empresa. Mas, à medida que suas vendas aumentam e o mercado muda, é preciso acompanhar o dinamismo para se manter competitivo. Rever técnicas e modelos aplicados anteriormente pode ajudar o seu negócio a dar um salto.

De nada adianta vender mais se a sua empresa não está preparada para atender uma demanda maior.

Além de permitir ter a quantidade certa de itens no momento certo, levando em consideração períodos sazonais de vendas – como datas comemorativas e Black Friday –, o controle eficaz de estoque reduz as chances de perdas, extravios e erros administrativos, como diferenças no número de produtos que constam no estoque físico e no sistema utilizado para o controle.

3. Embalagem e empacotamento

Investir em diferenciais na embalagem dos seus produtos é uma das estratégias de logística fundamental na redução de custos e na experiência do cliente.

Uma boa embalagem abre precedentes para que um consumidor fale da sua experiência com a marca para outras pessoas. Isso pode gerar reconhecimento para o e-commerce e, consequentemente, atrair ainda mais clientes por meio do marketing boca a boca.

Mas, além da questão visual, não deixe de lado os custos que a embalagem gera para o seu negócio. Aposte na simplicidade vinculada à qualidade e crie uma relação de confiança com seus fornecedores. Essa pode ser a chave para conquistar preços mais competitivos e, a partir disso, o leque de possibilidades para se destacar no mercado só tem a aumentar.

4. Frete

Uma pesquisa realizada pelo Business Insider revelou que a razão que levou 58% dos entrevistados a desistirem de uma compra foi a discrepância entre o valor do produto e o valor final da transação, incluindo o envio.

O fato de o preço do frete ser decisivo para a conversão não implica dizer que a sua loja deve oferecer frete gratuito.

Isentar o frete requer um planejamento minucioso, enquanto algumas boas práticas podem ajudar na precificação de um frete mais competitivo, como:

• Avaliar o perfil das encomendas: possibilita identificar, por exemplo, as regiões com mais frequência de envios, o que permite a negociação com diferentes parceiros logísticos para obter melhores preços em destinos específicos

• Conhecer as políticas e o preço de frete da concorrência: consultar o preço e os prazos da concorrência para basear suas metas e a negociação com transportadoras é uma tarefa acessível e permite que você saiba até que ponto é possível mexer no seu custo de frete para se manter competitivo

• Atualizar suas tabelas de frete constantemente: não estagne o preço de frete, faça constante melhorias, pois o mercado é constante e sempre é possível rever algo que possa gerar melhorias nesse aspecto.

5. Logística reversa

O processo de logística reversa tem impacto direto nas vendas do e-commerce. Segundo pesquisa realizada pelo Invesp, ao menos 30% de todos os itens comprados online são devolvidos. No entanto, 92% dos consumidores entrevistados disseram que não desistiriam de comprar da loja novamente se o trâmite de devolução do produto fosse simples.

Para que não ocorram “surpresas” na hora que o cliente receber o produto, o ideal é apresentar no site o máximo de detalhes possível sobre cada item, como cor, tamanho, funcionalidade, entre outras especificidades que sejam importantes para o conhecimento do consumidor.

• Apresente as características do produto no e-commerce.

• Tenha uma política de troca descomplicada.

• Monitore a incidência de devolução.

• Efetue um planejamento eficaz.

• Tenha um atendimento qualificado.

Em caso de devolução, cumprir os prazos e ter um bom parceiro logístico faz toda a diferença.

6. Última milha logística

Essa etapa é uma das que mais exigem atenção, pois é o momento decisivo para medir a qualidade de uma empresa na visão dos consumidores. No entanto, muitas vezes é a menos eficiente no transporte de encomendas e compreende até 28% do custo total da entrega.

Por isso, a tecnologia é essencial para dar visibilidade, controle e flexibilidade ao processo da última milha. Mas a tecnologia por si só é apenas uma ferramenta, pessoas e processos eficazes são responsáveis por impulsionar os resultados. Para conseguir isso, os varejistas precisam do controle em tempo real dos envios para maximizar as vendas e reduzir os custos logísticos o máximo possível.

7. Recepção e expedição de produtos

Em e-commerces, a expedição de mercadorias assume um papel estratégico porque lida diretamente com o tempo de processamento dos pedidos e com problemas que podem ser evitados antes do transporte – como trocas de produtos por erros no picking, por exemplo. Fatores que impactam diretamente a satisfação do cliente final.

Nessa etapa é muito importante ter um checklist bem definido com os seguintes passos:

• Gerar picking list e separar produtos.

• Separar pedidos.

• Montagem de kits.

• Embalar e etiquetar o produto.

• Agrupar os pedidos por transportadora.

Depois de postar os itens, basta rastrear as encomendas pelo código gerado pelo parceiro logístico e se certificar de que os produtos cheguem ao consumidor final dentro do prazo estabelecido.

8. Avalie a possibilidade de exportar seus produtos

Apostar na exportação pode ser uma maneira de tornar sua empresa mais competitiva em escala nacional e internacional, aumentar a produtividade e impulsionar sua imagem.

Após realizar uma pesquisa de mercado e definir para onde e o que exportar, a empresa terá então que lidar com questões burocráticas.

O processo de exportação não é um processo feito de um dia para o outro. É necessário haver um preparo, dedicação, inteligência e, muitas vezes, mão de obra especializada. Ter pensamento de longo prazo e estabelecer uma estratégia inteligente de exportação pode levar seu produto para qualquer lugar do mundo.

9. Experiência de pós-venda

Para testar a eficácia de tudo que vem aplicando no processo logístico da sua empresa e no serviço como um todo, faça uma pesquisa de satisfação com o cliente para saber como foi a experiência dele para, a partir disso, observar o NPS (Net Promoter Score) em que é atribuída uma nota de 0 a 10 para o serviço como um todo.

Mas, o pós-venda não se restringe à nota intitulada a sua empresa. Os clientes fiéis, aqueles que deram notas de 9 a 10 no NPS, são um importante canal de divulgação da marca, pois ainda que sejam introduzidos novos métodos, o marketing boca a boca se consagra como eficiente, já que está comprovado que consumidores confiam muito mais em indicação de amigos e familiares do que qualquer outro canal.

10. Otimização da cadeia de suprimentos

Com uma gestão de cadeia de suprimentos eficiente é possível identificar diversos pontos de atenção e fatores que podem ser otimizados em sua operação.

O objetivo é garantir uma cadeia mais produtiva e rápida, reduzindo gastos e mantendo a qualidade do serviço vinculada às necessidades do consumidor.

Confira abaixo algumas formas de melhorar a cadeia de suprimentos do seu negócio:

• Faça o mapeamento de todos os processos atuais.

• Compartilhe informações com fornecedores.

• Garanta a integração entre as áreas.

• Aposte em um único sistema para gerir a cadeia de suprimentos.

Investir na logística como diferencial competitivo vai muito além do operacional. Aposte na tecnologia para atender as expectativas cada vez mais urgentes do consumidor e não apenas da empresa. Uma logística mais rápida, flexível, econômica e precisa é o que vem definindo o sucesso de um negócio.

Leia também: Como funciona a Mandaê dos bastidores até à entrega ao destinatário.

    Ao assinar a newsletter da Mandaê, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações.

    Gostou? Compartilhe!