Logística

7 principais tendências de logística que estão transformando o mercado

Postado por Mandaê

Atualizado em dezembro 1, 2021 por

Você já deve ter visto notícias sobre drones ou veículos autônomos que vêm revolucionando a forma de entregar encomendas. Se antes as inovações tecnológicas nas tendências de logística pareciam muito distantes da realidade, hoje isso está mais presente do que nunca.

Tendências nos tipos de tecnologia, na manipulação dos dados e nos serviços de entrega devem ser acompanhadas, pois, com a transformação digital, elas mudam constantemente.

Para entender mais a fundo como anda o segmento, vamos mostrar as 7 principais tendências de logística para 2022. Com isso, vale refletir sobre a importância de se reinventar constantemente para se manter competitivo no mercado.

Tendências de logística: novas tecnologias e opções nos serviços de entrega

1. Machine Learning na logística

O Machine Learning é uma das principais tendências de logística que possibilita que processos sejam realizados de forma autônoma. Em outras palavras, é uma tecnologia que, com o uso de Inteligência Artificial, permite que as máquinas “aprendam sozinhas”.

Esse aprendizado vem por meio da programação de parâmetros ou de algoritmos, que possibilita o processamento de uma grande quantidade de dados.

Por isso, ao ser aplicado na logística, o Machine Learning possibilita a clareza de dados e a rápida tomada de decisão. Assim, é possível realizar a otimização de rotas, aperfeiçoar a gestão de entregas e melhorar a comunicação entre toda a cadeia de supply chain.

As Logtechs são conhecidas por aplicar esse tipo de tecnologia em seus processos. A Mandaê, por exemplo, utiliza a tecnologia de Inteligência Artificial para selecionar a melhor transportadora, traçar a melhor rota para cada encomenda e garantir um rastreamento eficaz.

2. Internet das coisas (IoT)

O conceito de Internet das Coisas (Internet Of Things) é recente e bem simples de ser compreendido. Na verdade, trata-se da conexão de diversos aparelhos e ferramentas de forma simultânea na internet. Ou seja, é um conceito que visa acelerar processos e torná-los cada vez mais eficientes.

Na logística, a Internet das Coisas vem para agilizar processos que já existem. Assim, o monitoramento e rastreio de cargas, gestão de estoque e controle sobre a frota de veículos podem ser melhor controladas se estiverem conectadas e acompanhadas em tempo real. 

Além disso, a IoT pode ser utilizada na segurança da logística. O roubo ou furto das encomendas pode ser evitado por meio de sensores. A jornada de trabalho dos motoristas pode ser controlada por meio de sistemas online de monitoramento.

3. Entrega de produtos com Drones

Em diversas áreas os drones vêm mostrando que têm muitas funcionalidades. Na logística, por exemplo, é sinônimo de economia e acessibilidade.

Claro que possuem suas limitações, mas os benefícios são bem atrativos. No caso da Amazon, 80% das suas encomendas são leves o suficiente para serem transportadas por drones e o restante fica a cargo de caminhões.

O primeiro teste de delivery de comida feito por drone no Brasil aconteceu em 2020. O teste foi realizado na cidade de Campinas e reduziu o tempo de entrega de 12 para 2 minutos. 

A verdade é que ninguém sabe ao certo se esse modelo vai realmente decolar, mas, que tem um grande potencial para otimizar e mudar o conceito last mile (última milha), isso não há como negar.

Algumas grandes empresas vêm fazendo testes com drones, como é o caso do Walmart, Amazon e a rede de pizzaria Domino’s.

4. Veículos autônomos na logística

Com a eficiência dos sistemas de GPS, hoje é possível saber a localização exata da carga, estimar com precisão prazos de entrega e até guiar veículos autônomos.

Veículo autônomo é uma tendência que traz algumas vantagens para a logística, como a otimização no controle de estoque e a redução de custos no transporte que influencia no preço final do produto.

Contudo, é uma tecnologia que está um pouco longe da realidade do nosso país. Além da falta de infraestrutura adequada, dificilmente permitirão caminhões sem motoristas nas rodovias – pelo menos por enquanto.

5. Entrega em apenas algumas horas 

Como o próprio nome diz, essa modalidade promete entregar o produto poucas horas após a sua compra. Saber disso satisfaz ainda mais o consumidor de hoje que dá preferência ao atendimento imediato e personalizado mesmo que o serviço custe mais.

Essa é uma tendência que já está sendo colocada em prática por várias empresas no Brasil. Portanto, em breve já não será mais uma tendência, mas sim uma necessidade do e-commerce.

Por ser um modelo desafiador, para adotá-lo é preciso ter uma estrutura bem definida. É fundamental que a demanda seja gerenciada por softwares, já que, além da rapidez no processamento de informações, é preciso ter muita exatidão.

6. Dark Stores 

Dark Stores nada mais são do que um local exclusivo para armazenamento, separação e envio de produtos do e-commerce. São locais menores, se comparados aos grandes warehouses, e estão localizados em centros urbanos. 

O principal objetivo das Dark Stores é reduzir o tempo de entrega da encomenda, permitindo a entrega no mesmo dia ou até mesmo em poucas horas. É de conhecimento que o prazo de entrega é um fator decisivo na conversão do checkout de uma loja virtual. Portanto, ser competitivo nesse ponto é importante para aumentar as vendas.

As Dark Stores oferecem muitas vantagens ao e-commerce, como redução de custos, agilidade na entrega e facilidade na implementação. Os custos de construção e operacionalização de uma Dark Store são menores se comparados com o de uma loja física.

7. Marketplaces com logística própria

Os Marketplaces cresceram muito nos últimos anos. Segundo recente pesquisa da Ebit/Nielsen, os Marketplaces ocupam 78% de participação no comércio online B2C (Business to Consumer).

A crescente adesão dos sellers nos Marketplaces faz com que o volume de encomendas transacionadas na plataforma também aumente. O resultado disso é que alguns players conseguem oferecer sua própria logística, com preços e prazos competitivos. É também possível observar alguns Marketplaces comprando players de logística, com a estratégia de otimizar ainda mais o serviço de entrega.

Essa tendência pode ser um risco aos demais players do mercado, pois os vendedores acabam sendo “obrigados” a utilizarem o serviço logístico oferecido pelos Marketplaces. 

Acompanhe as tendências de logística

Observar as tendências de logística é fundamental para começar a agir agora mesmo. 

A maior tendência logística é oferecer o melhor serviço possível. Hoje, isso não significa apenas atingir as expectativas dos clientes e do mercado, mas ultrapassá-las e ir além do esperado.

Obviamente, inovar exige investimento, por isso, comece devagar, foque no que está ao seu alcance e evolua aos poucos. Afinal, até a Amazon começou pequena.

Leia também:

+ 5 tendências do e-commerce para ficar de olho em 2022

+ Privatização dos Correios – bom ou ruim para o seu e-commerce?

    Ao assinar a newsletter da Mandaê, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações.

    Gostou? Compartilhe!