E-commerce

Busca interna – levando o cliente até onde você quer

Postado por Mandaê

Atualizado em agosto 23, 2021 por Mandaê

Todo e qualquer proprietário de loja online da atualidade sabe, ainda que superficialmente, da importância dos mecanismos de buscas. Mas em termos de busca interna, a maioria das lojas virtuais ainda deixa a desejar.

Há dois aspectos principais a considerar nos mecanismos de busca que existem dentro da sua loja virtual:

  • A facilidade com que o cliente é capaz de encontrar aquilo que procura
  • A facilidade com que o cliente chega aonde você quer

E, creia, as duas coisas não são exatamente iguais. Em algumas lojas virtuais, clientes procuram por produtos específicos ou em promoção. Os lojistas, contudo, querem que esse cliente chegue a um determinado produto sobre o qual têm mais lucro ou maior estoque, por exemplo.

Ok, então como podemos melhorar isso?

Investindo em busca interna na sua loja virtual

Se vamos a um marketplace ou grande plataforma de e-commerce, sempre encontramos uma barra superior, assim como no Google. Ali, ao iniciar a digitação, o cliente recebe recomendações de itens e categorias para clicar.

Muitos e-commerce, mesmo pequenos, possuem mecanismos similares. Ótimo – mas o principal é a forma com que configuramos esses mecanismos.

Elimine, na sua loja, resultados que não são do seu interesse ou do cliente. Páginas institucionais, produtos que não estejam em estoque, itens que estão desatualizados. Você simplesmente NÃO quer que o seu cliente clique neles – e o consumidor também não deseja isso.

Se você usa sistemas de e-commerce que oferecem extensões, apps ou plugins, como Shopify, WooCommerce, Prestashop e tantos outros, escolha bem. Sempre procure extensões ou módulos de busca interna que tenham mecanismos de autossugestão, ou “ajax”, num ponto de vista mais técnico.

E se não encontrar nada de bom entre plugins e apps gratuitos, procure um pago. Vale a pena investir em busca interna na sua loja virtual.

Filtros bem feitos na busca interna

Outra forma de levar o cliente onde ele quer e você pretende são os filtros. Lojas online possuem filtros por categoria, tamanho, marca e muito mais. Você deve copiar essa mesma abordagem no seu site.

Claro – você não pode filtrar demais, ou corre o risco de tornar a navegação confusa. Tente alinhar os filtros ao modo com que o cliente deve chegar ao seu produto.

Por exemplo, se vende roupas e peças de vestuário, melhor possuir um filtro por tipo de peça. Se trabalha com autopeças, ao invés de nomear cada peça, tente criar filtros com categorias por parte do veículo ou aplicação.

Quanto melhor você categorizar os produtos, melhor será a experiência de busca do cliente. E cliente que acha mais fácil, compra mais fácil.

Tags e busca semântica

Em um site de e-commerce, produtos geralmente permitem a inserção de tags. Essas tags são usadas, entre outros, para que o conteúdo, no caso a descrição do produto, seja encontrado.

Nem todo cliente irá buscar a coisa da mesma forma. Por isso, temos de trabalhar tags de modo a criar mecanismos semânticos de busca. Imagine, por exemplo, um laptop de uma marca qualquer à venda numa loja. Se o cliente inserir na busca “laptop” e a marca, certamente o encontrará. Mas isso é suficiente?

Primeiro, você precisa de tags que associem todo tipo de sinônimo e aproximação a esse produto. Por exemplo:

  • Notebook
  • Computador
  • Computador portátil
  • Notebook para viagem
  • Computador para viagem
  • Computador compacto

Com isso, o cliente poderá chegar ao mesmo produto digitando qualquer um desses termos. Em seguida, caso você não tenha um sistema de busca semântica, tente antecipar erros de digitação: “notebok”, “leptop” e assim por diante. Agora o seu cliente encontrará o produto mesmo digitando errado.

Sistemas de busca semântica

Claro que você pode investir mais e economizar todo esse trabalho. Há excelentes sistemas de busca semântica, como o ElasticSearch, porém eles exigem gente capaz e ambientada para uma boa implementação. Portanto, se você dispõe de recursos, talvez valha a pena explorar essas possibilidades.

Busca interna e relacionados

Por fim, sempre que seu cliente encontra um produto que buscou, é melhor sugerir a ele outros semelhantes ou complementares. Felizmente, quase todo sistema de e-commerce da atualidade possui módulos e apps que fazer isso automaticamente.

Todas as grandes lojas e magazines utilizam essa tática para auxiliar o cliente nas buscas. Além disso, esse expediente permite que clientes mais resistentes encontrem produtos similares, ajudando na decisão de compra.

busca interna site
Produtos similares sugeridos em “carrossel”, abaixo da descrição (Magazine Luiza)

Os produtos relacionados podem também ser complementares. Capas e carregadores, no caso dos celulares, por exemplo. Tudo isso dá ao cliente a sensação de encontrar o que procura – e para você, chances de engordar o carrinho.

Então, gostou dessas dicas? Acompanhe o blog da Mandaê e saiba sempre como melhorar a sua loja e aumentar os seus ganhos. E não se esqueça: para fretes e entregas, não esquente a cabeça – apenas venda e deixe o resto com a gente!

Leia mais:

+ Impulsione suas vendas com descrições de produtos perfeitas

+ Cross selling e upselling: como aumentar as vendas usando essas estratégias

    Ao assinar a newsletter da Mandaê, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações.

    Gostou? Compartilhe!