Logística

Locker, pick up store e pick up point: por que esses tipos de frete podem mudar a logística

Postado por Mandaê

Atualizado em abril 29, 2021 por Mandaê

Não é segredo que a logística no Brasil ainda causa dor de cabeça em muitos lojistas e consumidores por todo o País. Os motivos são variados, sendo o frete e seus custos logísticos um dos principais deles. Quem trabalha em e-commerce sabe o quanto a última milha é custosa. Do outro lado, os consumidores sofrem com atrasos e problemas de rastreamento que tornam essa experiência ruim.

Para tentar mudar esse cenário é que soluções como o locker, pick up store e pick up point estão sendo adotadas pelas empresas. Conheça um pouco mais sobre esses modelos e como eles podem ajudar a transformar a logística atual e a impulsionar o seu negócio.

O que é locker e como ele funciona

Armários. Essa é, basicamente, a definição de o que é um locker. Mas como isso pode ajudar as empresas a reduzirem seus custos logísticos? Simples: o cliente faz uma compra online e em vez de esperar pela entrega em seu endereço, vai a um dos pontos indicados e retira a encomenda em um locker. Para os e-commerces isso representa um custo mais baixo no transporte de mercadorias, que são direcionadas a pontos pré-determinados e não a endereços individuais.

Benefícios:

✔Praticidade para o cliente, já que seu funcionamento 24 horas permite a retirada da encomenda a qualquer momento.

✔Custo menor com transportadoras, que fazem mais entregas em um mesmo endereço e não precisam fazer grandes deslocamentos.

Cuidados:

✔Custo para implementação e manutenção, além das taxas que costumam ser pagas aos proprietários dos pontos de retirada.

✔Ocupação dos lockers. Com o aumento da demanda é possível que os armários sejam insuficientes e a situação gere insatisfação nos clientes.

Amazon Locker: como funciona
O serviço, que deu seus primeiros passos nos Estados Unidos, deslanchou com a gigante Amazon, que já espalhou mais de 3 mil armários pelo país.

Para que um cliente da Amazon consiga retirar sua encomenda em um locker, deve inserir o código único que recebeu por e-mail/mensagem ou escanear o código de barras enviado por e-mail usando o leitor disponível no armário. “Em vez de entregar um pacote ao seu endereço, você pode selecionar um local do Amazon Locker e retirá-lo em um momento conveniente para você”, informa a empresa em seu site. Para o cliente, esse serviço não tem custo adicional e a encomenda fica disponível por três dias corridos. A empresa já soma mais de 3 mil armários espalhados pelo país

Essa vantagem e comodidade se repetem também em situações de devolução de produtos. Para fazer uso da logística reversa, o consumidor deve seguir o mesmo procedimento, usando o locker como um dropoff. Assim, os transportadores da Amazon podem retirar as mercadorias devolvidas ao mesmo tempo em que abastecem outros armários.

Via Varejo
No Brasil, a modalidade começou a ganhar espaço pelas mãos da Via Varejo, dona das redes Casas Bahia, Extra e Ponto Frio. No início de 2018 a empresa espalhou alguns lockers por postos de combustível na cidade de São Paulo para testar sua aceitação. Hoje o serviço já está disponível 24 horas também para consumidores do Rio de Janeiro.

O que é pick-up store e como ele funciona

O pick-up store é o famoso “compre no site e retire na loja”. Nesse caso, no lugar do armário, o cliente vai até uma loja física da empresa para receber seu produto, que costuma estar em um balcão próprio para esse atendimento. A solução se tornou popular por volta de 2010, após redes americanas como Best Buy e Macy’s adotarem o conceito.

No site da Best Buy o passo a passo mostra o que é preciso para que o cliente pegue o seu produto e oferece, em alguns casos, a opção de retirada direto no armazém. A página ainda garante recalcular o preço do item se na loja física ele estiver mais barato do que o ofertado no site. Na Macy’s a divulgação do serviço é feita dentro das lojas físicas.

Ao integrar as operações físicas e digitais do negócio, o serviço de pick-up store reforça o conceito de omnichannel, conectando o on e offline, prática que é cada vez mais tendência de mercado.

No Brasil, o serviço já é oferecido por empresas como Americanas, Centauro e Magazine Luiza – que fez seus primeiros testes do formato em 2015 e hoje oferece mais de 700 opções de loja para retirada.

Página de divulgação do serviço “Retirar na Loja” da Magazine Luiza

Benefícios

✔Economia para o cliente, que não precisa pagar taxa de frete para ter seu produto.
✔Economia para a empresa, que reduz o volume de envios.

Cuidados

✔Controle de estoque: é preciso sincronizar os sistemas de estoque físico e digital para garantir a disponibilidade de produtos nas duas modalidades de compra.

✔Atenção fiscal, já que é preciso justificar o processo de entrada e saída e garantir as informações do controle de inventário.

O que é pick-up point e como ele funciona

O pick-up point segue o mesmo conceito de “clique e retire” do pick-up store, com a diferença de que nesse caso a retirada dos produtos comprados é feita em uma rede de parceiros, estrategicamente espalhados pelas cidades. O serviço também representa a ideia de omnichannel ao integrar os ambientes on e off – ainda que a retirada seja feita em lojas de terceiros.

A vantagem desse serviço é que o e-commerce não precisa, necessariamente, ter uma operação física para atender seus clientes. Já para o estabelecimento parceiro, representa oportunidade no aumento das vendas, pois indo até o ponto de retirada da encomenda o cliente pode aproveitar as oportunidades da loja.

Logística reversa no pick-up point
A logística reversa é um dos processos mais custosos da jornada logística por todo o mundo. Segundo dados da Reverse Logistics Association, o custo com esse processo pode representar até 25% do PIB de um país. É também para reduzir esse prejuízo que a solução de pick-up point vem sendo adotada.

Em 2017 a Amazon fechou parceria com a loja de variedades Kohl, que cedeu seu espaço para receber encomendas que precisavam ser devolvidas à varejista. O resultado foi positivo não só para a Amazon, que reduziu seus custos com esse processo: levantamentos mostraram que as lojas que aceitaram a parceria registraram um aumento de 8,5% no número de visitantes.

Benefícios

✔Redução dos custos com logística reversa, já que a coleta das mercadorias é feita em um único ponto.

✔Redução de custos com transporte, pois o cliente busca sua encomenda em um dos postos parceiros.

Como os pontos de retirada ajudam a reduzir os custos da última milha

Aderir ao conceito dos pontos de retirada representa não só uma tendência de mercado, como também ajuda a reduzir os impactos e custos da última milha, a etapa mais sensível e custosa da logística. Alguns problemas que a implementação de pontos de retirada ajuda a resolver:

Transporte
Quem atua no processo de entregas sabe o quanto o transporte de mercadorias até o destino final é caro e também trabalhoso. Empresas com operações nacionais precisam enviar seus produtos para todo o território e acabam assumindo custos ligados à transporte, manutenção e seguro – que acabam sendo repassados ao cliente.

Centralizar a entrega dos produtos em pontos estabelecidos é a solução para diminuir os problemas e baratear o custo para o consumidor, que tende a escolher esse tipo de entrega para garantir preços mais vantajosos durante a compra.

Entrega
São vários os problemas relacionados à entrega de encomendas, entre eles atrasos, ausências do destinatário e roubos de carga. Além de atrapalhar o planejamento logístico, esses pontos geram mais custos ao negócio. São vários os problemas relacionados à entrega de encomendas, entre eles atrasos, ausências do destinatário e roubos de carga. Além de atrapalhar o planejamento logístico, esses pontos geram mais custos ao negócio. É por isso que implementar os serviços de locker, pick-up point e pick-up store, centralizando as entregas em lugares pré-estabelecidos, ajudam a reduzir essas dores de cabeça e tornar a experiência do cliente mais agradável.

Segurança
Outro ponto que traz vantagens na adoção dos pontos de retirada pelos e-commerces é o da segurança. São inúmeros os casos de roubo de mercadorias registrados durante a tentativa de entrega ao cliente. No Rio de Janeiro, por exemplo, os Correios chegaram a cobrar taxa extra para cobrir os custos com a violência na cidade.

Implementar os pontos de retirada nos negócios é uma forma de caminhar para a tendência omnichannel que vem se fortalecendo. A adoção de novos formatos de interação entre empresas e clientes é a fórmula para repaginar a logística atual e, embora esses ainda sejam formatos novos, que estão dando seus primeiros passos no País podem representar ganhos para todos os lados no futuro.

Gostou? Compartilhe!