Coworking space: tudo sobre escritórios compartilhados

Coworking spaces: o que são, como funcionam, preços e alternativas em São Paulo
 
De acordo com o censo levantado pelo site Coworking Brasil em 2016, existem 378 coworking spaces ativos no país. Desses, 23% dos escritórios compartilhados estão localizados na capital paulista. Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre são outras capitais que encabeçam o ranking em número de espaços colaborativos e apresentam crescimento constante.

Reunimos informações nacionais e internacionais sobre o assunto para ajudar micro e pequenos empreendedores a entender o conceito dos espaços de trabalho colaborativos, as implicações financeiras da mudança e as características dos profissionais que frequentam os coworking spaces. Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre o assunto.
 

O que é coworking space

 
Coworking space é um escritório compartilhado por diferentes grupos de profissionais que podem trabalhar por conta própria ou em grupo, tanto para empresas terceiras quanto para seus próprios negócios. São freelancers, profissionais independentes, empreendedores e startups que alugam uma mesa ou sala em um ambiente compartilhado.
 

Como funciona

 
Diferente do aluguel de uma sala comercial em um conjunto de escritórios, o espaço de coworking dificilmente é definido como aluguel de espaço comercial, embora de fato o seja. Essa distinção acontece porque a relação que o coworking desenvolve com os seus participantes se distancia significativamente da relação que um proprietário tem com o seu inquilino.

Além de ter um espaço e uma rede de contatos à disposição, os escritórios compartilhados também têm eventos destinados aos empreendedores associados, como palestras, encontros, debates e comemorações. No censo do Coworking Brasil, foram entrevistados 173 espaços. Destes, 92,9% organizam eventos comemorativos ou profissionais com frequências variáveis. Veja abaixo:

Outra particularidade do coworking é o seu manifesto, um documento que reúne as premissas básicas dos espaços, valorizando os conceitos de colaboração e humildade. Veja abaixo um trecho que trata dos valores do coworker, retirada do site Coworking Brasil:
 

  • Colaboração acima da competição.
  • Coletivo acima da individualidade.
  • Participação acima da observação.
  • “Fazer” acima de “dizer”.
  • Camaradagem acima da indiferença.
  • Ousadia acima da garantia.
  • Aprendizado acima da expertise.
  • Orgânico acima de mecânico.
  • Gentileza acima de desconfiança.

 

Recursos disponíveis

 
Os recursos disponíveis em cada espaço de coworking podem variar. Em geral, estão incluídos na mensalidade Wi-Fi, fornecimento de energia e água, armário privado, além do espaço de trabalho, que pode ser fixo ou móvel.

Alguns escritórios compartilhados podem ter serviços adicionais como sala de reuniões, aluguel de salas privativas para equipes, estacionamento, espaço de convivência, cozinha/copa, café à vontade, bicicletário e escritório virtual.

No caso de quem vende online, é necessário também avaliar as limitações e os recursos para armazenar o estoque. Quem vende bijuterias e itens pequenos, por exemplo, pode usar o armário privativo. Já quem vende itens maiores precisa pensar em uma solução como o aluguel de uma sala no espaço ou em maneiras de enviar os produtos antes de ir até o espaço de coworking, utilizando serviços de logística completa.
 

Coworking vale a pena?

 
Uma pesquisa feita por Lyndon Garrett e Peter Bacevice para o Harvard Business Review revelou algumas curiosidades e características peculiares dos profissionais que trabalham em um escritório compartilhado:

Pessoas que usam coworking spaces veem mais significado em seus trabalhos – A cultura colaborativa faz com que os profissionais se sintam mais motivados a ajudar e buscar ajuda com coworkers. Por serem diversas empresas e profissionais dividindo o mesmo espaço, o significado do trabalho de cada um ganha destaque.

Coworkers têm mais controle sobre suas tarefas – Segundo o censo 2016 do Coworking Brasil, existem 53 espaços que funcionam 24 horas por dia. A flexibilidade de horários e de agenda dos empreendedores faz com que esses profissionais possam tirar uma pausa para a academia no meio da tarde ou trabalhar em casa.

Porém, a pesquisa da Harvard revelou que, apesar de valorizarem a autonomia e independência, os coworkers também são capazes de criar estruturas em suas vidas profissionais. Os respondentes da pesquisa afirmaram que fazer parte de um espaço de coworking com outros profissionais dá mais sentido às suas rotinas diárias.
 
+ Administração do tempo: 10 soluções para produzir mais
 
Coworkers sentem-se parte de uma comunidade – Apesar de seguirem a mesma premissa, cada escritório compartilhado pode carregar uma proposta diferente. O fato do empreendedor poder escolher de que espaço de coworking fazer parte traz a sensação de estar integrado a uma comunidade.
 
Coworking spaces de nicho: conheça o Fashion Lab, escritório compartilhado para profissionais da moda
 
Em São Paulo, foi inaugurado em 2015 o primeiro espaço de coworking dedicado exclusivamente aos profissionais de moda. Outros coworking spaces de nicho, como a Casa de Viver, na Vila Madalena, são voltados para os pais que desejam estar próximos dos filhos enquanto trabalham.
 

Quem frequenta os coworking spaces?

 
O Censo do Coworking Brasil buscou encontrar as áreas em que os coworkers atuam. Veja abaixo quais são os profissionais que você poderá encontrar com mais frequência em um escritório compartilhado:
 

  • Consultoria: 65%
  • Publicidade e Design: 55%
  • Marketing, internet e startups: 45%
  • Advocacia: 38%
  • Negócios sociais, vendas e outros: 24%
  • Jornalismo e Educação: 20%
  • Jurídico e Artes: 13%
  • Terceiro Setor, Contabilidade e Moda: 10%

 

Preços de espaços de coworking

 
Apesar de todas as vantagens que um espaço de coworking carrega e das possibilidades de expandir horizontes com novas ideias e contatos, vale lembrar que a maioria dos coworking spaces tem um custo mensal. Em São Paulo, a média ronda os R$ 650 para aluguel de uma estação de trabalho individual fixa em tempo integral com armário e Wi-Fi.
 

Impacto no orçamento

 
Para ponderar o aluguel em um coworking space, você deve levar em consideração os seus custos adicionais ao aluguel, tais como:
 

  • Transporte ou estacionamento.
  • Alimentação.
  • Para quem tem filhos, babá ou creche e transporte escolar, se necessário.
  • Despesas extras.

 
Não é raro que a soma dessas despesas ultrapasse os três dígitos. Por isso, além de verificar o impacto da mudança no caixa da sua empresa, avalie sempre a sua localização, os gastos extras e as implicações na sua vida pessoal antes de se entregar à ideia de ter um escritório compartilhado.

Se o orçamento é curto demais, conheça abaixo alguns lugares gratuitos com acesso à internet em que você pode trabalhar enquanto se planeja para ter o seu espaço.
 
+ Precificação para PMEs: como atingir o lucro? 
 

Coworkings gratuitos

 
Existem cada vez mais iniciativas do setor privado que disponibilizam coworking spaces gratuitos. Porém, a gratuidade impõe algumas limitações ao empreendedor. Se você não precisa de um espaço fixo e não se importa com a lotação do ambiente, avalie as opções e veja se são interessantes para você e seu negócio.
 

Google Campus

 
O Google Campus foi eleito o melhor escritório compartilhado de São Paulo e, entre os coworking spaces gratuitos, é o que apresenta melhor infraestrutura
 
O Campus é uma iniciativa do Google que já existe em metrópoles como Londres, Madrid, Seul, Tel Aviv e Varsóvia. Inaugurado em São Paulo em 2016, o espaço conta com três andares que funcionam como incubadora de startups inscritas e aprovadas nos programas de aceleração do Google.

Porém, o quinto andar do prédio localizado próximo à estação Brigadeiro do Metrô abriga o espaço do Campus Café, área de trabalho livre para visitantes (gratuita), sala de jogos e área do silêncio.

Os eventos são frequentes. Em novembro de 2016, o tecladista da banda Skank esteve por lá para dar uma palhinha e motivar os empreendedores. Também teve cerveja à vontade para comemorar a premiação do Google Campus como melhor espaço de coworking de São Paulo. Todos os meses, os novos membros do Campus têm uma reunião de integração para se conhecerem e saberem mais sobre as regras do local.

Para ter acesso, basta acessar o site do Campus São Paulo e se inscrever, descrevendo as atividades que pretende desempenhar. Depois de ser aprovado, é só retirar o seu crachá na recepção. Preste atenção aos dias de eventos e procure chegar cedo para garantir o seu lugar nesses dias – é raro, mas pode acontecer de todas as estações de trabalho da área livre estarem ocupadas.

Endereço: Rua Coronel Oscar Porto, 70 – Paraíso
Funcionamento: das 9h às 19h.
 

FIAP Coworking

 
Entre os poucos coworking spaces gratuitos em São Paulo, destaque ao espaço de coworking da FIAP
 
A Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP) abriga dois espaços de coworking em seus campi Paulista e Vila Olímpia.
O escritório compartilhado da Paulista conta com aproximadamente 100 postos de trabalho com pontos de energia elétrica em todas as mesas, cafeteria e Wi-Fi. Já a unidade Vila Olímpia possui 18 postos de trabalho com a mesma infraestrutura.

O coworking da FIAP pode ser utilizado para reuniões com investidores, desenvolvimento de projetos e reuniões de trabalho. Para ter acesso ao espaço, o interessado precisa preencher um cadastro no site e marcar a data e o horário desejados, bem como o de seus acompanhantes, quando houver. Assim que receber o e-mail de autorização da reserva é possível utilizar o espaço no dia marcado.

Endereços: Av. Paulista, 1.106, 7º andar e Rua das Olimpíadas, 186
Funcionamento: das 9h às 18h.
 

Alternativas aos coworking spaces

 
Quem disse que você precisa ficar preso em casa se não tiver um espaço comercial? Aproveite a sua liberdade para conhecer outros pontos da sua cidade e trabalhar remotamente em locais inspiradores. Veja abaixo uma lista de alternativas aos coworking spaces em São Paulo.
 

Centro Cultural São Paulo

 
Apesar de não ser um escritório compartilhado, o CCSP é um espaço de cultura no centro de São Paulo que também é uma boa alternativa gratuita aos espaços de coworking
 
O CCSP fica localizado ao lado da estação Vergueiro do Metrô e conta com duas bibliotecas, solário, auditório, bicicletário, café e mesas espalhadas por todo o espaço, com direito a Wi-Fi gratuito da Prefeitura.

Você pode optar por se acomodar nas mesas externas ou dentro da biblioteca. O lugar é bastante frequentado por jovens em busca de silêncio para o estudo e por praticantes de dança e outras atividades culturais e artísticas. Ainda assim, o empreendedor poderá encontrar um espaço tranquilo e moderno para trabalhar no CCSP.

Endereço: Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso
Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 20h.
 

Biblioteca de São Paulo

 
Para os moradores da zona norte que buscam alternativas aos coworking spaces, a Biblioteca de São Paulo é uma opção gratuita, ao lado da estação Carandiru do metrô
 
Inaugurada em 2009, a Biblioteca de São Paulo é uma ressignificação do antigo presídio do Carandiru, localizada na estação de mesmo nome, no complexo do Parque da Juventude que abriga o parque, a ETEC e a biblioteca.

A BSP possui o andar térreo dedicado exclusivamente ao público infantojuvenil, com um espaço lúdico e atividades recreacionais durante as tardes. No mezanino, os adultos podem desfrutar de poltronas confortáveis e mesas amplas com Wi-Fi e tomadas. O local não permite a entrada com mochilas, mas conta com armários para armazenar os pertences dos frequentadores.

Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 2630 – Ao lado da estação Carandiru do Metrô
Funcionamento: de terça a domingo, das 9h30 às 18h30.
 

Biblioteca Villa-Lobos

 
Inaugurada recentemente, a Biblioteca Villa-Lobos é uma alternativa interessante para substituir os coworking spaces

Localizada próximo ao bairro de Pinheiros e ao lado da Estação Villa-Lobos da CPTM, a Biblioteca Villa-Lobos foi inaugurada dentro do parque de mesmo nome em 2014 e é um excelente local para trabalhar fora de casa. É muito parecida com a BSP porque ambas estão sob a gestão da SP Leituras. O acesso também é gratuito e o espaço conta com Wi-Fi, cafeteria, espaço de estudos, atividades culturais, bicicletário e eventos para todas as idades.

Endereço: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros
Funcionamento: de terça a domingo, das 9h30 às 18h30.

+ Livros para empreendedores
 

Biblioteca Mário de Andrade

 
Alternativas aos coworking spaces: a biblioteca Mário de Andrade é pública e funciona 24 horas por dia
 
A Biblioteca Mário de Andrade está no coração de São Paulo e homenageia um dos poetas expoentes do movimento modernista no Brasil no início do século XX. Inaugurada em 1925, a primeira biblioteca pública da cidade reflete o momento cultural do país e conta com ambientes amplos e espaçosos, com pés-direitos altos e muita iluminação natural.

Além de desfrutar de um espaço histórico, os profissionais que optam por trabalhar remotamente na Biblioteca Mário de Andrade também contam com uma particularidade: é a única cujo espaço de estudos funciona 24 horas por dia, no térreo e no terceiro andar, com Wi-Fi gratuito da Prefeitura. A BMA só encerra o expediente em feriados e recessos de fim de ano e Carnaval.

Endereço: Rua da Consolação, 94
Funcionamento: todos os dias (exceto feriados), 24h.

 

Espero que a leitura tenha esclarecido dúvidas a respeito dos coworking spaces e que ajude você e a sua empresa a tomar a decisão de mudança, que nem sempre é fácil. Fique à vontade para comentar abaixo.

4 comentários em “Coworking space: tudo sobre escritórios compartilhados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *