Marketing

10 princípios de Growth Hacking que você precisa aprender

Postado por Mandaê

Atualizado em abril 19, 2021 por Mandaê

Principios de growth hacking - uma ferramenta com foco no crescimento

 

Você já pensou em ter um crescimento tão rápido e expressivo como algumas das empresas de sucesso do mundo digital? Conheça os princípios de Growth Hacking, um novo método de alcançar o sucesso que pode ser uma alternativa interessante para o seu o negócio. Excelente para o mundo conectado e acelerado em que vivemos, Growth Hacking traz uma nova forma de pensar. É uma forma de acelerar o crescimento da sua empresa, pensando fora da caixa. Os pilares do Growth Hacking são a criatividade e a análise comportamental do seu público.

 

Princípios de Growth Hacking: como funciona

 

O Growth Hacking busca entender como o consumidor se comporta online e, então, usa esse conhecimento, junto a tecnologia e ideias dinâmicas e inovadoras, para divulgar e impulsionar a venda e o conhecimento de sua marca ou produto, ou seja: crescimento.

Além de gerar tráfego, visa, através de meios originais, reter usuários para um crescimento efetivo e duradouro. Trata-se de uma tática muito comum em startups e colocá-la em prática envolverá todas as áreas da empresa, pois qualquer decisão a ser tomada poderá gerar algum impacto junto aos consumidores.

Morgan Brown, autor do site growthhackers.com e especialista no assunto, escreveu um e-book analisando 10 princípios de Growth Hacking utilizados por dez start-ups com crescimento extraordinário ao redor do mundo. Após uma profunda investigação, foi capaz de reunir o que fizeram empresas como Uber, Snapchat, Yelp, LinkedIn, HubSpot e Evernote tão bem sucedidas.

Desse estudo, Brown tirou importantes lições e, com a esperança de inspirar e moldar o seu pensamento em busca do crescimento, trouxemos 10 de seus princípios de Growth Hacking fundamentais.

 

1 – Growth Hacking não é nada sem o produto

 

Você já ouviu falar muito sobre ajuste do produto/mercado, e por boas razões. Cada uma das 10 empresas avaliadas com grande taxa de crescimento tinha algo em comum: oferecia ao cliente uma excelente experiência com o produto. Desta forma, tornava seus clientes fiéis e felizes, formando a base do seu sucesso e o combustível para o seu crescimento. O produto é a base do crescimento. Sem ele o crescimento sustentável é impossível.

 

2 – Growth Hacking nunca acaba

 

Essas empresas tem um foco implacável no crescimento. Não é algo da boca pra fora. Todos os seus funcionários, recursos e esforços possuem o mesmo objetivo: crescimento.

Dentre os casos estudados, talvez o LinkedIn seja o mais prolífico. Com mais de uma década focado em crescimento contínuo, segue inovando sua tática de crescimento. Eles têm sua quota de erros, mas a vontade de encontrar a próxima alavanca de crescimento é inspiradora.

 

3 – Growth Hacking não é marketing

 

Um importante tópico do estudo, é que nenhuma destas empresas utilizaram estratégias de marketing convencional. Você não vai ler sobre como eles eram mestres da pesquisa paga ou e-mail marketing. Claro, muitas delas utilizaram essas competências, mas estes não foram o motivo do crescimento transformador e sustentável.

Em vez disso, você verá que tinham formas específicas de impulsionar o crescimento, que inclui o marketing, mas mais frequentemente, alavancando o produto para as maiores oportunidades de crescimento.

É preciso equipes reais de crescimento em engenharia, produto e, sim, marketing, para projetar os programas de crescimento que, de fato, trarão resultados. Contraste aos enormes orçamentos de anúncios pagos de empresas como Groupon, por exemplo.

 

4 – Fazer o que todo mundo está fazendo é a estratégia errada 

 

Nenhuma dessas empresas fizeram o que todo mundo estava fazendo. Cada uma delas traçou seu próprio caminho, deixando, muitas vezes, as pessoas curiosas sobre o que elas estavam pensando.

Yelp ao invés de ficar cortejando críticos e pagar para ser avaliado, como outras gigantes do meio, focou 100% na comunidade, surpreendendo a todos. Outro caso semelhante é o do Trip Advisor, em que os próprios usuários avaliam hotéis e restaurantes ao redor do mundo.

 

5 – Não tente abraçar o mundo

 

É importante estar em um nicho focado para atingir o crescimento. Todas as empresas estudadas, de certa forma, fizeram isso.

 

6- Growth Hacking não tem nada a ver com táticas de curto prazo

 

O termo Growth Hacking tem sido muito usado e muitos tem desviado o seu significado, o atribuindo a quase todas as táticas de marketing digital conhecido.

Cada uma dessas empresas encontrou uma visão única para fazer crescer o seu negócio. São ideias realmente originais e inteligentes que levam a um crescimento duradouro.

Sua maneira original de olhar foi o que os fez encontrar as ferramentas adequadas, sem investir muito dinheiro em marketing tradicional.

 

7 – Faça coisas que não são escaláveis, depois as escaláveis

 

Faça coisas que não são escaláveis para obter tração inicial, como visitar os novos clientes, conversar com os usuários, etc. De uma forma ou outra, cada uma das empresas estudadas seguiram esse conselho.

Evernote percebeu que lançamentos appstore eram grandes pontos de impulso para a empresa e trabalhou febrilmente nos anúncios da plataforma, para estar pronto com novos recursos em cada lançamento. Certamente isso não é escalável, mas muito poderoso para distribuição.

Com o tempo, estas empresas foram construindo sistemas e processos que seriam escaláveis. A Uber desenvolveu uma cartilha baseada nas melhores práticas encontradas nas experiências feitas em seus mercados, para então repeti-las no lançamento do serviço em novas cidades.

 

8 – Saiba diferenciar “dados” de “insights”

 

Há muito acompanhamento em analytics, dashboards e métricas de vaidade. Diversas vezes são muitos números e pouca visão. Todas estas empresas de sucesso descobriram percepções reais que impulsionaram o crescimento.

Quase todas tiveram uma abordagem semelhante para análise. Elas não informam apenas os números. Da percepção dos números, encontram oportunidades de crescimento e os aplicam no negócio.

 

9 – Combinar várias ações de crescimento pode levar a um crescimento mais rápido

 

Empresas como GitHub, que integra ferramentas poderosas (rede social, mercado para código, plataforma de publicação) demonstrou que a combinação de mais de uma ferramenta de crescimento juntas cria resultados exagerados.

Agora GitHub é parte de muitos fluxos de trabalho dos desenvolvedores.

Várias ações juntas podem impulsionar o crescimento.

 

10 – Não existe mágica

 

Nenhuma destas empresas fez mágica. Pode ter sido uma ideia genial, mas dificilmente é uma questão de sorte. Certamente houve muito trabalho duro. Ficar esperando que a mágica aconteça será infrutífero e no fim das contas, poderá sair muito caro. Caso queira ler o estudo de caso completo sobre os princípios de Growth Hacking, você pode baixar o e-book no site da Amazon.

 

Conclusões

 

O Growth hacking tem sido a alternativa escolhida por muitas empresas para um crescimento expressivo. As melhores empresas possuem crescimento em sua essência. E não há um crescimento solitário. Todos, nestas empresas, sabem que têm uma função essencial a desempenhar para o crescimento. Quer sejam contratos jurídicos, engenharia ou aquisição de materiais para o escritório, cada um dos envolvidos faz do crescimento uma prioridade, trabalhando juntos para explorar as oportunidades que venham a surgir.

Growth Hacking não é receita de bolo: é uma forma de gerir um negócio que pode contribuir para um crescimento muito rápido com pouco investimento. Mas, ainda assim, é possível aprender bastante com a experiência de outras empresas. É importante ter criatividade para descobrir maneiras únicas para condução do crescimento, além de testar e evoluir as técnicas já comprovadas por outras empresas.

Agora que já conhece alguns princípios de Growth Hacking, que tal alavancar seus negócios com ele? Comente aqui a sua experiência!

 

Leia também:

8 estratégias de Omnichannel para aplicar na sua loja virtual
Veja como uma loja virtual economiza R$ 34.867 por ano [Estudo de Caso]
Customer experience é fundamental para reter mais clientes

Gostou? Compartilhe!