Fundadora da rede Mães Empreendedoras explica como driblar desafios para ter o próprio negócio

mulheres empreendedoras

Nos últimos dez anos, as mulheres formalizaram mais negócios no Brasil. [Twittar isso]

Entre 2003 e 2013 o número de mulheres empreendedoras cresceu 16% (acima da taxa verificada nos homens, que foi de 7%), elevando a participação delas de 29% para 31%, segundo a pesquisa Os Donos de Negócio no Brasil: análise por sexo, realizada pelo Sebrae. Somente em 2013 haviam 7,3 milhões de mulheres com o próprio negócio e, desse resultado, aproximadamente 39% também eram “chefes” dos seus respectivos domicílios.

Mães Empreendedoras: as mulheres no comando

 

Para mostrar as dificuldades enfrentadas pelo sexo feminino na hora de tirar os planos de papel e como buscar soluções para emplacar o negócio, conversamos com a fundadora da Mães Empreendedoras, Maria Cristina Bernardo, que após enfrentar o desafio de unir maternidade com empreendedorismo formou uma rede de capacitação de mulheres, incentivando o empoderamento e protagonismo feminino.

Blog da Mandaê: O que levou você a enveredar pelo empreendedorismo feminino?

Maria Cristina: A rede Mães Empreendedoras surgiu a partir da minha experiência pessoal. Quando meu primeiro filho nasceu, vivi uma grande transformação e a relação com o trabalho foi uma das principais mudanças. Como alternativa à rotina que não me permitia estar próxima a ele, busquei o caminho do empreendedorismo. Passávamos muitas horas longe e então decidi me dedicar a montar um negócio para que pudesse ter um novo jeito de trabalhar, com mais flexibilidade e possibilidades de crescimento.

BM: Para fazer dar certo um trabalho por conta própria, as mulheres empreendedoras precisam correr atrás de quais caminhos?

MC: Com o passar do tempo, estudando, enfrentando os muitos desafios dos negócios – já passei por franquia, negócio na área de educação, alimentação e loja virtual -, e conhecendo outras empreendedoras, percebi que a maternidade era um dos maiores motivos para as mulheres seguirem o caminho do empreendedorismo, por isso decidi criar um negócio para apoiar essas mulheres. Com minha participação no programa Shell Iniciativa Jovem tive a oportunidade de amadurecer a ideia e transformar a Mães Empreendedoras em um negócio de verdade.

BM: Você se arrepende de alguma coisa?

MC: No início da trajetória como empreendedores sempre cometemos erros que, mais à frente, percebemos que poderiam ser evitados. Só não erra quem não se arrisca e o risco faz parte do processo de empreender.

BM: Como conciliar trabalho e família e que limites impor?

MC: Consigo conciliar de um jeito bem bacana. Acompanho os estudos dos meus filhos, tenho tempo para brincar com eles. Tenho flexibilidade e com isso eles estão aprendendo que há várias formas de trabalhar. Divido meus horários entre o trabalho e as demais atividades. E como todo mundo, há fases em que preciso me dedicar mais a um ponto. Meu marido é superparceiro e incentivador, entramos nisso juntos, dividindo as atividades e cuidados com os meninos.

BM: Depois de tudo, quais são as recompensas de trabalhar em casa?

MC: A principal recompensa é poder acompanhar mais de perto o crescimento dos meus filhos. Ser presente na educação deles. E também é muito prazeroso desenvolver um trabalho com a minha cara, que tem a ver com meus propósitos de vida, como é a rede Mães Empreendedoras.

BM: Quais conselhos você daria para as mulheres empreendedoras ganharem dinheiro em casa?

MC: É preciso ter calma e se preparar. Calma para entender que negócios têm um tempo muito diferente de outros trabalhos. Não dá para começar algo achando que você vai ter um retorno rápido, nem de clientes, nem financeiro. Pode ser que aconteça, mas em geral é um processo que leva tempo e você precisa estar preparada para isso. É muito importante se planejar e contar com apoio em algumas partes do negócio se for possível. Pensando nessas dificuldades, criei o programa Oficina de Ideias e os serviços da Agência Mães Empreendedoras.

Se você também empreende, vende e envia produtos sem ter que sair de casa ou ficar longe dos filhos e tem conselhos e dicas para compartilhar, deixe um comentário!

Leia também:

+ 7 dicas para vender mais no Dia das Mães
+ Internet oferece oportunidades para mães empreendedoras
+ Veja como uma fonoaudióloga transformou seu hobby em profissão

2 comentários em “Fundadora da rede Mães Empreendedoras explica como driblar desafios para ter o próprio negócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Maravilha!!!! Parabéns a Maria Cristina Bernardo pela busca da felicidade no trabalho e na Vida.
    Parabéns a todas as mulheres e mães! Parabéns aos que empreendem e encaram os desafios de Ser dono de sua jornada geradora de renda e multiplicar aos que junto seguem. Amei e levei, syn!

    1. Oi, Rico. Tudo bem?
      Acreditamos que o exemplo da Maria Cristina é inspirador para muitas empreendedoras. Agradecemos por acompanhar nosso blog. Um abraço!